Escrito por Ricardo de Castro Barbosa    Ter, 26 de Novembro de 2013 19:33    PDF Imprimir E-mail
Arquitetura de Referência SOA

Em qualquer ramo de atividade, e mesmo em nossas vidas, precisamos de referências. Para navegação aérea/naval/terrestre usamos referências para chegarmos ao destino proposto.   E em sistemas não é diferente. Particularmente em SOA, precisamos de uma referência para poder:
- Reconhecer quais elementos fazem parte de uma Arquitetura Orientada a Serviços;
- Decidir quais elementos devem compor a nossa arquitetura, para atingimento dos objetivos a que nossa empresa se propõe;
- Definir quais componentes devemos adquirir e implementar ao longo do tempo.

O The Open Group (www.opengroup.org), com base em experiências obtidas em projetos SOA desde 2002, elaborou o SOA Reference Architecture provendo um instrumento para criar ou avaliar uma arquitetura em termos de suas camadas, componentes (building blocks) e papéis que devemos considerar de modo a assegurar que nossos investimentos em tecnologia irão nos levar para os objetivos pretendidos com a iniciativa SOA.

O diagrama abaixo nos mostra quais camadas são definidas nesta arquitetura:

 

Vamos analisar cada uma destas camadas:

Operational Systems (Sistemas Operacionais): Trata-se da Infraestrutura para viabilizar o funcionamento de SOA. Além disto, promove a Integração com Legados, Bases de Dados, etc. e possibilita a execução dos Serviços.

Service Components (Componentes do Serviço): Componentes de software que realizam os Serviços. Estes componentes ligam o Contrato do Serviço com sua Implementação (“bind”) e promovem o desacoplamento entre Consumidor e Implementação.

Services (Serviços): É um container de Serviços, onde se encontram os Contratos de Serviço, incluindo os Serviços Tarefa, de Entidade, de Informação, Utilitários, etc.

Business Process (Processos de Negócio): É a camada responsável pela Composição e Orquestração de Serviços. Suporta processos longos, inclusive com intervenção humana. Executa tarefas (sequenciais/paralelas) segundo Regras de Negócio, Políticas, etc.

Consumer Interfaces (Interfaces com Consumidores): Se encarrega da Comunicação com os Usuários, suportando diferentes canais entre usuários e aplicações. Também promove comunicação entre aplicações e o desacoplamento entre Consumidor e Implementação.

Estas camadas são definidas como Funcionais.

As camadas definidas como Não Funcionais são as seguintes:

Integration (Integração): Possibilita Mediação, Transformação, Roteamento e Transporte. Os Serviços são expostos somente através desta camada. Centraliza Regras de Negócio e promove o desacoplamento entre Provedor e Consumidor. Esta camada é geralmente suportada por um ESB-Enterprise Service Bus.

Quality of Service (QoS): Captura e Monitora métricas operacionais, assegurando: Confiabilidade, Disponibilidade, Controle, Escalabilidade e Segurança.

Information (Informação): Inclui Arquitetura dos dados e da Informação, Estrutura de dados (XML-Schemas) e Protocolo de Dados.

Governance (Governança): Define os objetivos de SOA, os Processos e assegura conformidade com Políticas e Processos. Define também o Portfólio da Solução e do Serviço e o Ciclo de Vida da Solução e do Serviço. Abrange Governança no Design e em Runtime. Governança se aplica a todas as camadas.

Esperamos que este breve descritivo sobre a Arquitetura de Referência SOA elaborada pelo The Open Group tenha contribuído para mostrar a importância de se basear em uma referência segura, que pode conferir qualidade, economia de tempo e recursos em geral em nossos projetos SOA.


Ricardo de Castro Barbosa é Diretor da Soa Master Educação e Consultoria Ltda. É certificado como SOA-Professional, SOA-Consultant e SOA-Architect pela SOASchool, do Prof. Thomas Erl.

Bibliografia:
SOA Reference Architecture – The Open Group.

Última atualização ( Qua, 27 de Novembro de 2013 13:09 )
 

Endereço

Avenida Sagitário, 138, Torre 1, Sala 301 - Alphaville Conde II 

Barueri – São Paulo  CEP 06473-073

(11) 4191-6051 / (11) 4191-3970

Fotos dos Cursos         

Your are currently browsing this site with Internet Explorer 6 (IE6).

Your current web browser must be updated to version 7 of Internet Explorer (IE7) to take advantage of all of template's capabilities.

Why should I upgrade to Internet Explorer 7? Microsoft has redesigned Internet Explorer from the ground up, with better security, new capabilities, and a whole new interface. Many changes resulted from the feedback of millions of users who tested prerelease versions of the new browser. The most compelling reason to upgrade is the improved security. The Internet of today is not the Internet of five years ago. There are dangers that simply didn't exist back in 2001, when Internet Explorer 6 was released to the world. Internet Explorer 7 makes surfing the web fundamentally safer by offering greater protection against viruses, spyware, and other online risks.

Get free downloads for Internet Explorer 7, including recommended updates as they become available. To download Internet Explorer 7 in the language of your choice, please visit the Internet Explorer 7 worldwide page.